Make your own free website on Tripod.com

pentagon
Expansão Napoleônica

Home

Guerra do Vietna
Israel
A Guerra no Oriente Médio
Fatos & Fotos
Cruzadas
Segunda Guerra
Guerra Fria
Revolução Russa
Primeira Guerra
Revolução Francesa
Expansão Napoleônica
Evolução Histórica
Contate-me

Expansão Napoleônica

Napoleão foi um dos maiores estrategistas militares dos ultimos tempos, conseguindo ao mesmo tempo o apoio de burquesia e camponeses. Desenvolveu uma rápida carreira no cenário político-militar francês. Aos 24 anos era promovido a general, aos 30 tornou-se cônsul e aos 35 era imperador. Sua primeira tarefa era eliminar o perigo externo (Inglaterra). Para isso avançou sobre a segunda coligação (Inglaterra, Áustria e Rússia). Em 1800 a Áustria foi derrotada na batalha de Marengo e 2 anos depois, em 1802 Inglaterra e França assinaram a Paz de Amiens que na verdade foi apenas uma trégua. Em 1803 se formou uma nova aliança anti-francesa (formada pelos mesmo países da segunda) se opondo a Espanha que havia apoiado a França. Em outubro de 1805, a marinha franco-espanhola foi dizimada na batalha de Trafalgar pela esquadra britânica comandada pelo Almirante Nelson. Porém em terra se mostrava a superioridade do exército francês nas batalhas de Ulm e Austerlitz, Napoleão derrotou o exército russo e austríaco. Em 1806, Napoleão suprimia o massacrado Império romano-germânico reunindo a maioria dos estados alemães e declarando a si próprio "protetor". E no mesmo ano é formada a quarta aliança (Inglaterra, Rússia e Prússia) as tropas prussianas foram rapidamente derrotadas na batalha de Iena, enquanto os russos caíram em 1807 nas batalhas de Eylau e Friedland, assinando o tratado de Tilsit, no qual a Rússia se tornava aliada dos franceses. Depois de derrotada a quarta aliança a França dominava praticamente todo o território europeu, os territórios que não eram comandados pelo próprio imperador estava nas mãos de parentes ou aliados, difundindo instituições francesas por toda parte. Quem poderia derrotar esse mito que era Napoleão? Fora algumas vitórias travadas em alto mar vencidas pela Inglaterra todas as outras batalhas tinham sido perdidas, já estava provada a superioridade terrestre do exército francês, todo o continente estava sob seu comando e em breve a Inglaterra iria desmoronar, pois sua burguesia era aos poucos sufocada pelo bloqueio continental. A Espanha que antes se aliara a Napoleão se revoltou contra a França quando foi nomeado para o trono espanhol um francês seu irmão José bonaparte. Organizando em forma de guerrilha, os espanhóis destruíram o mito da invencibilidade francesa na batalha de Baylem em 1808. Em 1809 formou-se uma quinta aliança para derrotar a França (Inglaterra e Áustria) mais uma vez derrotada por Napoleão. A notícia da vitória espanhola se espalhou criando várias frentes de luta na qual o Duque de Wellington expulsou os franceses em 1811. Finalmente a Rússia decide romper o bloqueio continental causando imediata reação em Napoleão que decidiu punir exemplarmente invadindo a Rússia com um exército de 450.000 homens enquanto 150.000 ficavam postados na Polônia fornecendo armamentos necessários. Até então parecia a derrocada do Império Russo, mas estes ultilizaram uma tática que se chamou "terra arrasada" retirando-se das cidades sem enfrentar o exército frances levando o que podiam e incendiavam o que restava, envenenavam a água, destruiam plantações. Napoleão conseguiu invadir Moscou mas se surpreendeu ao ver a cidade incendiada pelos próprios russos. O exército frances decidiu retirar-se mas se viu frente a um poderoso inimigo "o general frio" minando a tropas francesas muitos morriam de fome, sede, doenças como granguena e ao final o gigantesco exército que invadira a Rússia dos 450.000 apenas 30.000 homens retornaram com vida. Encorajados pelo enfraquecimento do Império Napoleônico, mais visível após a grande "derrota" na Rússia, formou-se a sexta aliança (Prússia, Áustria, Rússia e Inglaterra) e após sucessivas derrotas em Março de 1813 os exércitos da sexta coligação tomavam Paris na batalha de Leipzig. O império frances foi desfeito e o imperador exilado para ilha de Elba ficando em sua companhia quase 1.000 soldados. Em 1915 Napoleão foge da ilha de Elba na companhia de seus 1.000 homens e avança até o território francês. Ciente do que ocorria, Luis XVIII enviou um batalhão para aprisioná-lo, e nas margens do rio Mure, deu-se o histórico encontro entre seu ex-imperador retomando o comando do exército. Napoleão se aproximou a dez passos das tropas e disse: "Soldados do quinto batalhão, sou vosso imperador. Reconhecei-me: se entre vós houver um soldado que queira me matar o seu imperador, aqui estou.". Abriu seu capote cinzendo, os oficiais ordenaram fogo, mas os soldados se recusaram a atirar até que surgiram gritos "aqui esta o nosso general", "viva o imperador". Contando com apoio de vários soldados que engrossavam suas fileiras pelo caminho Napoleão avançava rapidamente a caminho de Paris. Luis XVIII fugiu para a Bélgica e Napoleão tomava o poder pela segunda vez, formou-se a sétima aliança. Foi finalmente derrotado na batalha de Waterloo na Bélgica. Ele pede proteção ao governo britânico e abdica o trono, é exilado para ilha de Santa Helena (costa africana no atlântico sul) onde veio a falecer em 1821.